Número total de visualizações de página

Fussballverband Region Zürich mit Portugiesischen Teams

BLOGGER: SP de Braga, Braga, Portugal. Sporting Clube de Braga de Zurique, Zürich, Switzerlande - GVrreiros do Minho e cultura luso Portuguesa & Helvética...

3. Liga - Gruppe 2
Sporting Clube de Zürich & Centro Lusitano de Zürich
http://www.football.ch/fvrz/de/verein.aspx?v=1629

4. Liga - Gruppe 3
Lafões Club Portugues
http://www.football.ch/fvrz/de/meisterschaft-fvrz.aspx

4. liga - Gruppe 4
Braga de Zürich & Benfica Clube de Zürich
http://www.football.ch/fvrz/de/meisterschaft-fvrz.aspx

Refiro que, o SP de Braga de Zürich, joga com o nome emprestado da Organisação FC Industrie Turicum 2

Site Oficial da Liga Portuguesa de Futebol Profissional http://www.lpfp.pt/Pages/Inicio.aspx

e-mail inspiracaodoautor@sapo.pt

domingo, 2 de agosto de 2009

Chico Bento - Autor de poemas, fados e canções decentes e picantes na Suíça

Chico Bento ou Zé Bento
Natural: A. Palheiros/Ourique/ Alentejo
Morada: Anais/Ponte de Lima/ Minho
Emigrante: Dällikon - Zürich - Suíça
Mensagem pessoal: Alegria para todos
Acerca de Zé: 47 anos, Masculino
O seu hobby preferido é escrever poemas diversos, fados e canções decentes e picantes.
Está inscrito na SPA com o número 16594, com os pseudónimos de *Chico Bento* *Zé Bento* *Serafim Ferreira* *Albano Torrão* *Brito Castelhano* *Francisco Vilarinho* *Campaniço*
O porquê de tantos Pseudónimos?! O Zé tem várias vertentes, é um autor diversificado, ele usa cada um dos nomes para matérias diferentes, Campaniço no Hi5, Zé Bento no MSN, entre outros, o caso das canções picantes usa um outro Onomatópose.
Ocupação: Serralheiro /Mecânico
Interesses: O seu principal interesse é divulgar o mais possível os seus poemas.
Correio electrónico pessoal e blogue
chicobento62@hotmail.com
http://chicobento62.spaces.live.com/

16 comentários:

Anónimo disse...

Divulgar a cultura portuguesa fora do pais é uma boa lição de vida.

UEFA encerra investigação contra F. C. Porto disse...

A UEFA encerrou a investigação contra o FC Porto por alegada tentativa de corrupção de árbitros em Portugal e confirmou a presença dos tetracampeões na edição desta época da Liga dos Campeões de futebol.

A decisão do Comité de Controlo e Disciplina da UEFA foi hoje comunicada às partes - incluindo FC Porto, Benfica, Vitória de Guimarães e Federação Portuguesa de Futebol -, num documento a que a Agência Lusa teve acesso.

"A investigação aberta contra o FC Porto devido ao caso Apito Dourado está fechada e retirada da lista de processos", refere o documento, adiantando que "o FC Porto está admitido a participar nas competições de clubes da UEFA na época 2009/10".

De acordo com o artigo 2.04 (g) do regulamento de competições, para participar na "Champions" um clube "não pode ter estado directamente e/ou indirectamente envolvido, desde a entrada em vigor do artigo 50(3) do Estatutos da UEFA (edição 2007), em qualquer actividade destinada a arranjar ou influenciar o resultado de um jogo de nível nacional ou internacional".

Ao contrário do que acontecia anteriormente, os novos regulamentos apenas prevêm punições para casos de corrupção a partir de 27 de Abril de 2007, uma alteração baseada "por certos pontos invocados pelo Tribunal Arbitral do Desporto".

"No caso Apito Dourado/FC Porto, os eventos referem-se, claramente, à época 2003/04", refere a notificação da UEFA, que acrescente que "o Comité de Controlo e Disciplina não pode abrir novos procedimentos para excluir o FC Porto, com base em eventos que tiveram lugar fora do período permitido".

O documento refere ainda que o Comité de Controlo e Disciplina "não sabe qual será o resultado final dos procedimentos ainda abertos e a decorrer nas autoridades portuguesas".

Esta decisão é, no entanto, passível de recurso para o Comité de Apelo do organismo, no prazo de seis dias a partir da notificação.

UEFA encerra investigação contra F. C. Porto disse...

A 04 de Junho de 2008 e na sequência da decisão da Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, de condenar o FC Porto por tentativa de corrupção sobre dois árbitros, a Comissão de Controlo e Disciplina da UEFA decidiu suspender os "dragões" por um ano das competições europeias.

A alínea d) do ponto 1.04 do Regulamento de Competições da Liga dos Campeões determinava que, para ser inscrito, um clube "não pode estar ou ter estado envolvido em alguma actividade destinada a combinar ou influenciar o desfecho de um jogo, a nível nacional ou internacional".

Dois dias depois, o FC Porto confirmou o recurso desta decisão para o Comité de Apelo da UEFA, que, a 13 de Junho, permitiu a participação do FC Porto, remetendo o caso para reapreciação na Comissão de Controlo e Disciplina, alegando que Benfica e Vitória de Guimarães deveriam ter sido ouvidos em primeira instância.

Contudo, a Comissão de Controlo e Disciplina acabou por não reapreciar o caso, por ainda não haver uma decisão do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol ao recurso apresentado pelo presidente do FC Porto, Pinto da Costa.

O Benfica e o Vitória de Guimarães recorreram desta decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), para tentarem manter a primeira decisão tomada pela UEFA que excluía o FC Porto da Liga dos Campeões 2008/09.

Nas alegações finais, os advogados dos dois clubes terão incluído o sucedido na reunião do Conselho de Justiça da Federação portuguesa de 04 de Julho, em que, depois de uma sessão atribulada, e sem o presidente e o vice-presidente presentes, cinco conselheiros mantiveram o castigo de dois anos de suspensão aplicado pela Comissão Disciplinar da Liga a Pinto da Costa.

A 15 de Julho, o TAS manteve o FC Porto na Liga dos Campeões, decisão aceite de imediato pela UEFA, que confirmou oficialmente a presença na prova a 31 de Julho, véspera do sorteio da terceira pré-eliminatória da "Champions", na qual participou o Vitória de Guimarães.

O presidente da UEFA, Michel Platini, manifestou-se várias vezes insatisfeito com a inclusão do FC Porto na próxima edição da Liga dos Campeões em futebol, referindo que a participação do FC Porto por tentativa de corrupção era "negativo" para a ética desportiva.

"Para mim, não é lógico que o FC Porto dispute a Liga dos Campeões, depois do seu envolvimento num caso de corrupção. Eu defendo valores de que quem tem que ser punido que o seja, mas neste momento tenho que aceitar a decisão", disse Michel Platini.

Rui Patrício "força" auto-golo e põe Sporting na Liga dos Campeões disse...

O Sporting conseguiu superar uma pré-eliminatória da Liga dos Campeões pela segunda vez na sua história, ao eliminar o Twente, com um empate na Holanda a um golo, que vale um lugar no "play-off".

O sonho de uma quarta presença consecutiva na fase de grupos da "Champions" continua vivo, isto depois de ter estado quase perdido, já que após o "nulo" em Alvalade, Douglas adiantou os locais logo aos dois minutos.

O resultado manteve-se até aos 95 minutos, altura em que, na sequência de um canto, o guarda-redes do Sporting atrapalhou e esteve na origem de um autogolo.

Desta forma, o Sporting quebra um ciclo de duas eliminações consecutivas, em 2002/2003 e 2005/2006, ambas face a equipas italianas: 0-0 em casa e 0-2 fora frente ao Inter de Milão, na primeira vez, e 0-1 em casa e 2-3 fora face à Udinese, na segunda.

O único sucesso do Sporting, até hoje, datava de 1997/98, face ao Beitar de Jerusalém, quando os "leões" empataram 0-0 em Israel e venceram no antigo Estádio de Alvalade por 3-0.

Com este apuramento, o Sporting garantiu desde já, e mesmo que seja afastado no "play-off", um lugar na fase de grupos da Liga Europa.

O Sporting conta apenas cinco participações na Liga dos Campeões, tendo-se ficado pela primeira fase em 1997/98, 2000/2001, 2006/2007 e 2007/2008 e alcançado os "oitavos" em 2008/2009... para ser "esmagado" pelos alemães do Bayern (1-12 - 0-5 em Alvalade e 1-7 no Arena de Munique).

A formação "leonina" manteve também o pleno frente aos holandeses, depois de já ter afastado Utrecht (1958/59), Feyenoord (85/86 e 2004/2005), Ajax (88/89), Vitesse (90/91) e AZ Alkmaar (nas meias-finais da Taça UEFA de 2004/2005), também com um golo num canto nos descontos, no caso do prolongamento.

Anónimo disse...

grande chico, estás de parabens.

Terra das (Marias) da Fonte ou fontanário, história com histórias... disse...

Copiado em algures

Anónimo disse...

O caro Quelhas está em progressão.
Ele ainda não sabe o quanto está a ser conhecido por esse mundo fora.
Graças aos escritos que tem feito nos jornais.
Uma parte mais próxima, conhece o Quelhas pessoalmente, a outra parte conhece o Quelhas somente de nome.
Quando referimos que o Quelhas está a ser reconhecido, falamos nos jornais que tem páginas na internet visíveis para todo o mundo.
Esse olhar ainda não atingiu o limite, porque cada vez mais o Quelhas é reconhecido pelo sistema informático.
É certo que tudo se deve aos jornais e a escrita feita em papel, as escritas em papel, por sua vez ficam registadas nas páginas através das hiperligações.
O caro Quelhas não sabe, nós sabemos que ele não sabe, que, mais de um milhão de pessoas em todo mundo leram suas escritas.
Em maioria na Angola, Brasil e França e depois Suíça, seguindo-se Portugal.
Graças aos Jornal Fri-luso, e ao admirável, Jorge Vicente, que tem as páginas electrónicas sempre actualizadas.
Graças ao Lusitano de Zurique e ao jornalista Manuel Araújo, que tem sempre os seus endereços afiados como um relógio sobre a revista que gere na Net.
Graças ao jornal Gazeta Lusófona que, através do seu director Adelino Sá, deu a conhecer o "Quelhas", porque foi reconhecido por ele, e muito antes de ele ir para a Suíça, deu-lhe a oportunidade de se lançar, daí em diante sempre escreveu em papel, e apareceu muito nos Links electrónicos.
Mas Quelhas não imagina que, os blogues e Hi5 que tem e participa, são lidos e revistos por muita gente nas Hiperligações da internet.
O caro Quelhas expõe muito os seus trabalhos, quem sabe se alguns habilidosos não se servem disso para tirar aproveito!
Dizemos ao caro Quelhas que, quando lançar novo livro, pense muito bem, encoste-se a uma boa editora, poderá vender milhares de livros num ápice.
Esta observação foi feita por várias pessoas, algumas conhecidas do Quelhas, nenhuma das quais falamos, mas que, alguns de nós também conhecemos.
Este grupo de amigos, espalhados por aí além, quiseram saber e conhecer melhor o Quelhas.
Por esse motivo, pesquisaram sobre ele, e chegaram à estranha conclusão que este escritor nato, sendo ainda pequeno em vendas, é conhecido e reconhecido, mais que aqueles que ajudaram a crescer o seu nome através de jornais.
Neste grupo, nem todos conhecem o Quelhas pessoalmente, conhecem das várias situações que frisamos anteriormente.
Desejamos boa sorte para a tua literatura.

4 de Agosto de 2009 16:04

Benfica: Que venha a Liga! disse...

Benfica: Que venha a Liga!

Benfica derrota Milan nos penáltis e soma o quarto troféu da pré-temporada

O Benfica teve mais sorte nos penáltis desta edição da "Eusébio Cup". No ano passado, perdeu com o Inter; ontem, sábado, derrotou o Milan, após um empate (1-1). Foi o quarto troféu da pré-época, mas a defesa necessita de melhorar.

Dez jogos na pré-época, sete vitórias, dois empates e uma derrota. As águias venceram os quatro torneios em que participaram. Números impressionantes e que revelam que reúnem condições para melhorar a classificação obtida na Liga nas últimas épocas. Principalmente porque o ataque tem melhores jogadores, outra disposição táctica e múltiplas opções. Saviola, Aimar e Di María voltaram a estar a um nível muito aceitável, foram incontáveis os lances que "inventaram" bom futebol frente a um Milan irreconhecível, que ainda não venceu qualquer encontro desde que se apresentou em Julho. Relativamente ao Benfica, falta também vencer na Luz.

Jorge Jesus apostou no que considera ser o melhor onze, destacando-se a inclusão de David Luiz e de Quim. Para já, Moreira e Júlio César estão em desvantagem. Mas a sua equipa não pareceu ser a melhor nesta altura. A defesa apresentou problemas, fruto da má forma de alguns jogadores (Sidnei é exemplo). As laterais são um problema bicudo para o técnico, sem dúvida o mais grave do plantel. O treinador não é fã incondicional de Patric nem de Shaffer - ambos reforços, o que torna a situação preocupante -, tem Maxi lesionado e aposta na adaptação de jogadores. Se é verdade que terá razão sobre o brasileiro (tem evidenciado muitas limitações, Alexandre Pato brincou no lance que originou o empate), pode estar errado relativamente ao argentino. Possui carências a nível defensivo, a necessitar de serem trabalhadas, mas faz a diferença no ataque. Os cruzamentos são mortíferos, como se viu e apreciou no golo português.

Durante os 90 minutos, os italianos criaram perigo na grande área contrária, devido a problemas de posicionamento. Sendo o técnico um obcecado pelos aspectos defensivos, há ainda trabalho de casa a efectuar. E já nem há tanto tempo assim para curar o mal.

Assistiu-se a uma boa primeira parte lisboeta. Aos 21 segundos, já Ramires falhara a primeira chance. Foi um dos únicos momentos do brasileiro, ainda em período de adaptação e sem velocidade para a Europa. Ao contrário de Javi Garcia, já imprescindível devido ao poderio físico e à boa capacidade de passe. Cardozo e Luisão também tiveram boas oportunidades, mas faltou qualidade na finalização.

O período complementar já não foi tão bom. Essencialmente porque Jesus fez sete substituições, ao contrário dos italianos, que optaram por apenas três. Houve menos clarividência e menos sentido prático. Ainda assim, pouco antes de ser substituído, Tacuara marcou o oitavo golo da pré-temporada (em nove encontros), num excelente golpe de cabeça. Da catadupa de jogadores que entraram na segunda parte, apenas Carlos Martins e Weldon tiveram nota claramente positiva. Já depois do jogo terminar, Quim foi o herói nas grandes penalidades. Defendeu quatro e ofereceu o troféu ao "King".

O livro da criança disse...

Crianças maltratadas perdoam agressores

Crianças não se percepcionam como vítimas e os pais não se consideram agressores, revela estudo

As crianças que sofrem de negligência parental não se percepcionam como vítimas e defendem quem as maltrata. Um estudo realizado no Norte de Portugal conclui que a negligência é a forma mais frequente de vitimação.
A investigação conduzida por Patrícia Rodrigues, no âmbito do mestrado em Psiquiatria e Saúde Mental da Faculdade de Medicina do Porto, incidiu numa amostra de 60 crianças, sinalizadas por comissões de Protecção de Crianças e Jovens em Risco do Interior norte do país.
O objectivo era perceber o funcionamento da criança negligenciada em contexto escolar e familiar e aceder à percepção que tem sobre a sua própria situação. Para isso, foram realizadas entrevistas aos menores, aos progenitores e aos professores.
As crianças tendem a desculpabilizar os pais, procurando até protegê-los da crítica social, omitindo as agressões mais graves. "Não se percepcionam como vítimas nem consideram as famílias disfuncionais, porque essa é a única realidade que conhecem. Sentem culpa e gostariam de ser perfeitos para serem mais merecedores de afecto", descreve Patrícia Rodrigues. Mas, por vezes, há gestos, olhares e outros sinais não verbais que desmentem a fantasia do "pai herói" que as crianças querem manter e torna-se evidente a dor.
Por seu lado, os pais não se consideram agressores, justificando-se com o argumento de que as crianças são "difíceis, nervosas ou impulsivas" e que é preciso uma mão firme para que cresçam e se preparem para vida, apurou a psicóloga da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco de Ribeira da Pena.
São evidentes os padrões trangeracionais de maus-tratos. Pais que reproduzem as agressões, as humilhações, a negligência e o abandono que sofreram na infância. Segundo a investigadora, "não sentem ter a responsabilidade de cuidar e proteger os filhos" e muitos não possuem sequer a maturidade necessária ao cumprimento das responsabilidades parentais.
Os professores descrevem estas crianças como tendo dificuldades de aprendizagem e comportamentos agressivos. São frequentemente hostilizadas pelos colegas porque chegam à escola sujas, sem material e portadoras do estigma de crianças problemáticas. Das entrevistas que realizou às crianças, Patrícia Rodrigues detectou, ainda, presença de sintomatologia depressiva e ansiosa.
As idades de maior fragilidade são os 6/7 anos, quando as crianças entram na escola, e pelos 11/12 anos, no início da pré-adolescência. São fases críticas de transição para as quais os pais não parecem estar preparados para lidar.
Os dados revelam que a maioria das situações de vitimação refere-se a negligência, isto é, maus-tratos passivos expressos na falta de cuidados básicos, seja alimentação insuficiente ou incorrecta, vestuário inadequado ao clima ou não fornecimento de material e condições para estudar, exemplifica a técnica.
A grande maioria (78%) das famílias vive em zonas rurais - "o que não significa que a vitimação também não ocorra em meios urbanos", ressalva Patrícia Rodrigues - e aufere rendimentos muito baixos (menos de 300 euros/mês).
Verifica-se também a preponderância de agregados familiares pequenos (dois a quatro elementos), contrariando as conclusões de outros estudos que apontam as famílias numerosas como o contexto privilegiado de maus-tratos infantis.
Estudo no Interior Norte
A amostra era composta por 60 menores, com idades entre os seis e os 16 anos, sinalizados pelas comissões de Protecção de Crianças e Jovens em Risco de Chaves, Montalegre, Valpaços, Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena.
Meninas mais protegidas
Os rapazes tendem a ser maltratados por ambos os progenitores, enquanto as meninas geralmente são vitimadas apenas por uma das figuras parentais. 38% dos pais apresentam consumos problemáticos de álcool ou outras drogas. 36% das agressões são perpetradas pelos pais em conjunto, o que revela um elevado nível de conivência.

Sporting Clube de Braga de Zurique disse...

Chico Bento
Cuidado, não assopres ao fogo
Bufa calmamente
E deixa os Bombeiros em desafogo

Repondo à sua quadra: disse...

O Quelhas é grande brincalhão
Diz que lê no meu pensamento.
Porque vive na zona do alemão
Deve servir isso de argumento?
JV

Anónimo disse...

já viram o post no http://povoadelanhosoacounoseum.blogspot.com/ sobre o Frederico. Quelhas é exímio e directo, dá o seu nome em liberdade.

Nuno Ribeiro vence Volta a Portugal disse...

Nuno Ribeiro vence Volta a Portugal

O português Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) venceu hoje, domingo, pela segunda vez, a Volta a Portugal em bicicleta, cuja 10.ª e última etapa, um contra-relógio individual de 30,8 quilómetros em Viseu, foi ganho pelo seu companheiro espanhol Hector Guerra.

Partindo com 2.17 minutos de vantagem face ao espanhol David Blanco (Palmeiras Resort-Tavira), Nuno Ribeiro chegou com o tempo de 39.54 minutos e perdeu apenas 53 segundos para o campeão de 2006 e 2008, que ascendeu ao segundo lugar da geral, a 1.24.

Guerra foi o único a completar o percurso abaixo dos 39 minutos e venceu a etapa com um registo de 38.52, enquanto Blanco foi segundo, com 29.01. O também espanhol Ruben Plaza (Liberty Seguros) foi terceiro, com 39.27.

Tiago Machado (Madeinox-Boavista), campeão nacional de contra-relógio, foi o melhor português na última etapa, ao terminar em quinto, com 39.34 minutos.

Outro espanhol, David Bernabéu (Barbot-Siper), também vencedor da Volta (2004), completou o pódio, a 1.36 de Nuno Ribeiro, depois de terminar a etapa em sexto, com 39.35 minutos.

Vencedor da prova em 2003, Nuno Ribeiro vestiu a camisola amarela na quarta etapa, chegando em segundo ao alto da Senhora da Graça, e consolidou a liderança na nona tirada, ao ganhar na Torre.

Nuno Ribeiro, que também ganhou o prémio da montanha, foi o único português a vencer a Volta a Portugal desde que Vítor Gamito triunfou na edição de 2000.

A Palmeiras Resort-Prio venceu por equipas, Cândido Barbosa, da mesma equipa, foi o mais regular, ganhando a classificação de pontos (foi o único a ganhar duas etapas), e Tiago Machado arrecadou o prémio da juventude.

Nelson Évora recebeu medalha e ainda pensa no recorde do Mundo disse...

Nelson Évora recebeu medalha e ainda pensa no recorde do Mundo

Não houve hino português, mas a bandeira subiu no Estádio Olímpico de Berlim e Nelson Évora recebeu a sua medalha de prata das mãos do ídolo dos saltadores da sua geração, Jonathan Edwards, o recordista do Mundo.

Quase 24 horas depois da derrota na final do triplo do Mundial Berlim2009, com o britânico Philips Idowu, Nelson ainda não fala da análise da prova, em que esteve "um pouquinho" abaixo do que fizera em Osaca2007 e nos Jogos Olímpicos Pequim2008, em ambos os casos com vitória.

Mas sai destes campeonatos com vontade de recuperar o ouro e diz que para evoluir, por vezes "é preciso dar um passo atrás, para depois dar dois à frente".

Diz que da derrota já percebeu "algumas falhas", mas também que "quando se está muito próximo da perfeição, está-se muito próximo de errar".

Habituado a ganhar, nos dois últimos anos, desvaloriza o segundo lugar, porque "ninguém é imbatível". No entanto, admite que "a sensação é diferente, quem recebe a medalha de prata, queria receber a de ouro."

O recorde nacional, que "ficou por bater" (17,74 metros) é o que o motiva para aceitar alguns convites para meetings e ir à final da IAAF, nas próximas semanas: "Se eu competir é para ficar com a melhor marca mundial do ano".

A competir hoje por Portugal apenas esteve Sara Moreira, numa das duas séries de 5.000 metros, com um apuramento directo, fácil, a "redimir-se" de ter "ficado à porta" nos 3.000 metros obstáculos.

Terminou em razoáveis 15.19,93 minutos, depois de "pegar" na corrida ao km 4 e fazer com que o primeiro grupo se reduzisse para seis unidades. Se não passasse directamente, seria sempre repescada.

Diz que assumiu a corrida, que então ia lenta, pois "não queria andar aos encontrões", limitando-se depois a entrar num lugar em que sabia ser certo o apuramento.

"Quando olhei para o ecrã vi que a quinta se estava aproximar (era então quarta), mas a sexta já estava longe", explica.

Sara, que só volta a correr sábado, não recuperou a 100 por cento dos obstáculos e queixou-se de "dores nos gémeos", uma situação que está a ser seguida clinicamente.

Para a final, não esconde a ambição e diz acreditar num "excelente resultado" - sem concretizar o lugar -, nomeadamente se a prova for rápida logo desde o arranque, sem grandes mudanças de ritmo.

Quelhas disse...

Olá
Venho pelo presente agradecer o esforço feito por V.a Ex.a no pagamento da obra de livro.
Desculpe qualquer coisa, por alguma frase menos desagradável, quanto ao tratamento do mesmo assunto.
Uma à parte: Gostei de ver a sua postura na RTP 1 no programa directo desde a Póvoa de Lanhoso para o mundo. Felecidades.



Mensagem do inspirador

Três livros na manga do autor,
Que baptizou, \"Quelhas – inspirador\"
Coisa que nunca o pensou!
Mas o tempo o deliberou,
O sonho que o inspirou, por ser sonhador...

\"Inspiração do Compositor,\"
São poemas de vida, concebida,
É o livro de poemas d, amor...
Onde está a minha e tua vida.
Com ou sem furor...

\"O livro da criança,\"
São histórias e ilustração...
Para quem o ler, ficará em lembrança...
Talvez, quem sabe no coração.
Para relembrares a tua infância...

\"Terra das (Marias) da Fonte ou fontanário\"
A história em livro vem em terceiro, talvez!
Gazeta, Fri-luso e Lusitano já é pioneiro e oficial.
A lenda da (Maria) sai uma vez por mês,
Dividido em oito partes distintas e formal...

Porém, \"Quelhas\" também é jornalista!
Um literato ocasional com ambição.
Nos jornais Lusófonos faz entrevistas,
\"Mas que grand,a idiota, senão...
De crer dar nas vistas.

O autor é um louco que nem o sente,
E, o menos conhecido da sua terra Natal!?
O escritor que mais livros vende, então.
Deixando, boquiabertos, na Suíça e em Portugal...
Os críticos, Povoenses, que escritores são.

Continuo a escrever com emoção,
História, e, histórias para crianças.
De vez enquanto um poema para o coração,
Jornalismo e peras!...
Para me divertir, e, fazer promoção...


"Quelhas" autor dos emigrantes na Suíça

Naiude Gomes: "Aprendi foi a manter a calma" disse...

Naide Gomes foi a melhor na qualificação do salto em comprimento, deixando bem marcada a ideia de que o "descalabro" de Pequim2008 está ultrapassado e agora, nos Mundiais de Berlim2009, é mesmo para o ouro.
Depois de um primeiro salto apenas "interessante", a 6,60 metros - claramente a medo -, "soltou a fera" e chegou aos 6,86, o que significa que, de facto, está a valer mais que sete metros, provavelmente o recorde nacional (7,12).
"Uma coisa que eu aprendi é a manter a calma", disse no final, vincando assim que os traumas da época passada estão esconjurados. "Nestes momentos é fundamental".
Naide entrou na pista "confiante, mas receosa", ciente de ter feito "um grande treino há dois dias".
"Era só acertar na corrida, com calma, que conseguia fazer os 6,75 (da qualificação directa)", disse, admitindo porém que o primeiro salto foi "a medo": "Tinha de arriscar, porque não chegava, mais valia garantir a qualificação".
Como se esperava (lesionou-se há cerca de um mês) sentiu dor no pé: "Agora dói-me bastante. Vou recuperar, não quero cá saber de dores nenhumas, não vou arriscar. Tenho um dia de descanso, logo veremos o que vou fazer".
"Muito alívio" sentiu no segundo salto, mas ainda não quer falar de prognósticos de medalhas. "Falaremos depois, se ganhar. Eu sei que estou bem e que se as coisas correrem normalmente vou a uma medalha, mas é preciso ter cautelas a falar sobre isso", explicou.
Caso esteja nas oito finalistas, domingo, promete "obviamente lutar por uma medalha", sem especificar qual.
"Eu quero vencer, quero sempre vencer, quando entro num meeting ou numa grande competição", acrescentou. E se possível com recorde nacional: "Eu acho que sim, sinto-me bem, e se as dores não atrapalharem, pode sair recorde".
Naide Gomes não impressionou de início nas qualificações da sua prova, ao contrário do que Nelson Évora fizera, no triplo salto.
O primeiro ensaio foi a 6,60 metros, a 15 centímetros da marca de qualificação directa, o que a obrigava a ter de prosseguir no concurso prévio.
Um salto que poderia ser bem melhor, se a portuguesa não ficasse a 17 centímetros da chamada, uma distância que, se quase totalmente anulada, daria para o apuramento.
Nessa primeira ronda, só a norte-americana Britney Reese (6,78 metros), líder do ranking de 2009, e a russa Tatiana Lebedeva (6,76), campeã mundial, tinham ordem para sair mais cedo da pista.
Perto estavam a brasileira Maurren Maggi, campeã olímpica (6,68 metros), Naide e ainda a russa Olga Kucherenko (também 6,68), todas favoritas para o pódio.
Em pior situação estava, então, a norte-americana Funji Jimoh, com um nulo.
Saltava-se "pouco", então, com as atletas a acusar o dia mais fresco e ventoso, e era de prever que, em última análise, aqueles saltos de Maggi, Kuchurenko e Naide chegariam para a final.
Não chovia ainda em Berlim, mas as nuvens carregadas ameaçavam tornar, a qualquer momento, a pista de saltos no Olímpico de Berlim muito mais pesada.
Naide resolveu, então, rapidamente as coisas, com um salto bastante melhor do que o primeiro, a 6,86 metros (a 6,4 centímetros da chamada) - ninguém fez melhor hoje.
Concentradíssima nos segundos antes de iniciar a corrida, em evidente processo de auto-motivação, qualificou-se e passou para a frente do concurso, evitando desgastar-se no terceiro salto.
Escassos cinco minutos depois, começou a chover copiosamente no Estádio Olímpico, mas já Naide tinha vestido o fato de treino e estava resguardada. A portuguesa era a única a apurar-se na segunda série de saltos e já tinha ordem de sair da pista.
Mais ninguém chegou aos 6,75 metros - a chuva "arruinou" por completo a terceira série - e a repescagem (para juntar 12 finalistas) chegou até 6,52.
Maggi e Kucherenko também estão na final, mas algumas favoritas ficam pelo caminho: do "top-7" deste Mundial ficam eliminadas Funji Jimoh (Estados Unidos) e Irina Meleshina (Rússia).
O novo encontro, para decidir quem sucede a Lebedeva, a campeã de Osaca2007, está marcado para domingo, a partir das 16:15 locais (15:15 em Lisboa).

Suíça exige que Google retire "imeditamente" Street View disse...

Suíça exige que Google retire "imeditamente" Street View

Suíços consideram que a empresa norte-americana não está a respeitar as condições de privacidade fixadas.

O Comissariado Federal de Protecção de Dados da Suíça exigiu sexta-feira que a empresa norte-americana Google, retire imediatamente o serviço "Street View" que abrange também aquele país, considerando que atenta contra a vida privada dos seus habitantes.

Hanspeter Thür afirmou, em comunicado, que a Google não está a respeitar as condições fixadas pela Suíça, que começou recentemente a ser fotografada para aquele serviço, em matéria de respeito pela vida privada.

Sustentando a sua exigência em vários comentários do público e na sua própria navegação na Internet, Thür argumenta que vários rostos e matrículas não foram adequadamente disfarçados.

Por isso, "exige que a Google retire imediatamente a Suíça do seu serviço de Street View", lê-se no comunicado.

O serviço Street View permite aos utilizadores a navegação virtual a três dimensões em algumas cidades, que foram previamente fotografadas por equipamentos adequados.

Lançado nos Estados Unidos da América, o serviço "Street View" tem provocado polémica em vários países, que tal como a Suíça, consideram que a privacidade dos habitantes é lesada.